Eleições APM 2022 - Ato eleitoral

Informações para o ato eleitoral de 7 de julho de 2022

 

Eleições para os seguintes cargos da Direção da APM:

  • presidente (cessa funções Lurdes Figueiral)
  • vice-presidente (cessa funções Renata Carvalho)
  • vice-presidente (cessa funções Lucília Teles)
  • vogal (cessa funções Fátima Freitas)
  • vogal (cessa funções João Carlos Terrroso)
  • vogal (cessa funções Letícia Martins)
  • vogal (cessa funções Margarida Rodrigues)

Mantêm-se em funções, por terem sido eleitos em 2021, Filipa Machado (vogal) e Ricardo Vicente (vogal)

 

Eleições para a Mesa da Assembleia Geral (MAG) da APM

Cessam funções Paulo Correia, presidente, Gonçalo Espadeiro e Joaquim Félix, vogais

 

Eleições para o Conselho Fiscal (CF) da APM

Cessam funções Pulo Teixeira de Sousa, presidente, Alberto Teixeira e Isabel Hortas, vogais

 

As eleições estão marcadas para a Assembleia Geral Eleitoral que se realiza no  7 de julho e que tem caráter extraordinário, de acordo com a convocatória de 7 de junho.

A AG será formalmente encerrada no encerramento do profMat com a divulgação dos resultados eleitorais.

A APM agradece a dedicação das associadas e associados que durante os últimos anos desempenharam cargos nos órgãos sociais da Associação. A sua disponibilidade e serviço permitem que a APM continue com a sua vitalidade e significância.

 

 

Ato eleitoral

A Mesa Eleitoral funcionará na ESE de Setúbal a partir da abertura da Assembleia Geral Eleitoral no dia 7 de julho e com horário a anunciar durante a realização do ProfMat, para efeitos de votação presencial.

Voto por correspondência

  1. Os boletim de voto (devem ser descarregados e impressos em folhas A4 branca.

  1. Os votos devem chegar à posse da Comissão Eleitoral, dobrados em quatro, dentro de um envelope fechado e anónimo.

  2. Este envelope deve ser introduzido num outro envelope, endereçado e remetido por correio ou entregue pessoalmente na Sede da APM*, devidamente acompanhado do nome, do número do cartão de identificação pessoal e do número do associado.

  3. Só serão considerados os votos por correspondência recebidos e colocados em urna fechada, na Sede da APM, até dois dias antes da abertura da mesa eleitoral (18h do dia 5 de julho).

* os associados que entreguem pessoalmente o seu voto, deverão assinar uma declaração de entrega que lhes será facultada no momento e que será apensa ao envelope exterior (que contém a identificação referida em 2). Este envelope só pode ser aberto pelos elementos da Mesa Eleitoral que darão baixa nos cadernos eleitorais. 

 

Apresentação dos Candidatos a cargos da Direção, ao Conselho Fiscal e à Mesa da Assembleia Geral da APM

Direção

Candidato a Presidente

Joaquim Pinto

(associado n.º 4086)

Joaquim Pinto, natural de Sangalhos, com 55 anos, professor de Matemática do 3.º ciclo do Ensino Básico e do Ensino Secundário; docente convidado de Didática da Matemática no Ensino Superior (Departamento de Educação e Psicologia da Universidade de Aveiro).

Licenciado em Matemática, ramo de Formação Educacional, pelo Departamento de Matemática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra; Mestre em Ensino da Matemática pelo Departamento de Matemática da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto; e Doutor em Educação (Didática e Desenvolvimento Curricular) pelo Departamento de Educação e Psicologia da Universidade de Aveiro.

Autor de manuais escolares de Matemática para o Ensino Secundário.

No presente ano letivo a lecionar Matemática e a Supervisionar Estágio na Escola Secundária da Gafanha da Nazaré, escola sede do Agrupamento com o mesmo nome onde é professor do quadro de nomeação definitiva.

Integra os Grupos de Trabalho do Ensino Secundário, e T^3 no qual é um formador muito ativo, da Associação de Professores de Matemática (APM).

Pertenceu ao Núcleo de Coimbra e pertence ao Núcleo de Aveiro.

Pertence ao Conselho Nacional da APM, representando este último núcleo.

 

Razões da minha candidatura

A lecionar Matemática desde 1992, fui fazendo um percurso pautado pela procura do que melhor é feito no ensino/educação Matemática. Procurei estar sempre atualizado para, deste modo, poder levar para dentro da minha sala de aula uma Matemática atrativa e com sentido. Junto dos colegas com quem tenho trabalhado, sou um impulsionador de novas práticas, partilhando sempre o que fui e vou aprendendo ao longo deste meu caminho.

A minha inquietude levou-me a descobrir a Associação de Professores de Matemática (APM), e a fazer-me sócio. Desde o primeiro dia aproveitei tudo o que de melhor esta associação me podia oferecer, e foi muito ao longo dos anos. Nela encontramos toda a disponibilidade e o apoio a todos os professores, ferramentas e atividades educativas de qualidade, formações variadas, momentos de discussão e reflexão, entre outros, que sustentam a nossa prática profissional.

 A nível pessoal estive sempre pronto a levar a APM ao maior número de professores, fazendo a divulgação junto destes da sua atividade, organizando encontros regionais e nacionais, participando noutros, também de âmbito regional e nacional realizados nas mais diversas regiões do país. Apresentei comunicações, dinamizei sessões práticas e grupos de discussão, entre outros, realçando a importância do conhecimento matemático e de um ensino de qualidade.

O meu primeiro ProfMat foi em Almada, no ano de 1996, ano em que a Matemática no Ensino Secundário começou a levar uma grande volta que culminaria em 1997 com a implementação de um novo Programa e com a constituição de uma equipa de professores acompanhantes da sua implementação e da qual me orgulho ter feito parte desde o primeiro instante. O referido ProfMat foi profícuo em discussões sobre o que deveria vir a ser a Matemática nos anos seguintes. E foi um marco muito importante para mim, desde logo abracei a ideia de pertencer à organização do ProfMat de 1997, organizado pelo núcleo de Coimbra e que decorreu na Figueira da Foz.

Hoje, tal como ontem, estou na APM de corpo e alma, não me imagino professor sem ter ao lado esta Associação de Professores, a qual sempre que necessitei estava lá. A APM está aqui, para me ajudar, para nos ajudar, para responder às nossas ansiedades, às nossas preocupações.

Como entendo, desde há muito, que a APM somos nós Professores de Matemática e que ela só existe porque nós existimos, não resisti ao apelo interior de me candidatar a Presidente da Direção da APM. Tenho um único intuito e compromisso, fazer a APM ainda maior, ativa, presente e interventiva, capaz de responder aos grandes desafios que se aproximam, estando à altura deles como sempre esteve. Proporcionando a todos uma APM de excelência!

 

Candidatos a Vice-Presidentes

Eduardo Cunha

(associado n.º 7185)

Eduardo Cunha, natural de Barcelinhos - Barcelos, com 53 anos, professor de Matemática do 3.º ciclo do Ensino Básico e do Ensino Secundário do Agrupamento de Escolas António Correia de Oliveira – Esposende, concelho onde reside.

Licenciado em Ensino de Matemática, na Escola de Ciências da Universidade Minho; Mestre em Educação com especialização em Tecnologia Educativa, pelo Instituto da Educação da Universidade do Minho; pós-graduação, com especialização certificada pelo CCFCP, em Administração Educacional pela Universidade do Minho.

Docente na Universidade Lusíada de Vila Nova de Famalicão entre 1995 e 2003, onde também foi coordenador e docente da pós-graduação em Novas Tecnologias no Ensino da Matemática e nesse âmbito coordenador pedagógico do Centro de Formação Contínua de Professores.

Desempenhou de 2000-2002 as funções de Acompanhante Local do Programas de Matemática do Ensino Secundário, Departamento do Ensino Secundário e de 2006-2009, de Acompanhante do Plano da Matemática, Direção Geral de Inovação e Desenvolvimento (Ministério da Educação).

Consultor pedagógico do projeto manual MACS 10º e MACS 11º da Texto Editora do grupo LEYA nas edições de 2010-2011 e de 2015-2016.

Exerceu funções em vários órgãos escolares, dos quais se destacam o de vice-presidente do Concelho Executivo e o de subdiretor do Agrupamento de Escolas de Barcelos.

Integra o Grupo de Trabalho T3 (Teacher Teaching with Technology) da Associação de Professores de Matemática, é formador no âmbito da Capacitação Digital Docente (PTD) e das Novas Aprendizagens Essenciais de Matemática do 3ºciclo. Desenvolve projetos pedagógicos em ambientes STE(A)M de aprendizagem, onde se destacam os projetos: “STEAM#leitura: para uma abordagem interdisciplinar” premiado no concurso Ideias com Mérito da Rede de Bibliotecas Escolas; “Academia das Ciências pelo Oceano – STEAM# literacias digitais, científicas e climáticas” aprovado no concurso Clubes Ciência Viva na Escola.

 

Razões da minha candidatura

Encaro a profissão de professor com espírito de missão, rigor, responsabilidade e dedicação, em primeiro lugar aos meus alunos, às suas aprendizagens e ao desenvolvimento das suas competências, em particular a sociais e comportamentais, mas também em prol da Educação Matemática do meu país.

Conheci a APM no meu ano de estágio, em 1991/92, através dos trabalhos desenvolvidos na didática da Matemática e usufruindo, já aí, da excelência da sua produção editorial, única e ímpar na educação Matemática no nosso país.

Posteriormente, a participação e colaboração no grande momento de partilha, reflexão, discussão e desenvolvimento profissional em termos da educação matemática, o ProfMat, foi o principal elo de ligação com a APM. Não tenho dúvidas que o meu desenvolvimento profissional seria bem mais pobre sem a APM. Como diz a letra do nosso hino “A APM é sermos assim, dizer de viva voz, que não estamos sós, vale a pena estarmos aqui.

Desde 2006, por convite, tenho o privilégio de integrar o Grupo de Trabalho T3 no qual colaboro na partilha e promoção de atividade pedagógicas de aprendizagem Matemática com recurso à tecnologia, procurando evidenciar que a tecnologia potencia metodologias ativas e centradas nos alunos, assim como permite alavancar a construção e compreensão de conhecimentos matemáticos por parte dos alunos. No âmbito deste grupo de trabalho e quando convidado tenho também sido autor de artigos para a revista Educação&Matemática, partilhando práticas e projetos.

Vejo a APM como o fiel da balança na Educação Matemática em Portugal, como o garante de uma discussão participada e democrática por parte de todos os professores de Matemática, muito além dos seus sócios, até porque acredito que todos ou quase todos os professores de Matemática já foram ou são sócios da APM. E esse é um desafio que se me coloca nesta minha disponibilidade de servir a APM, usando o tema do Dia Internacional da Matemática” de 2022 - “A Matemática Une”, unir ainda mais os professores de Matemática dentro da APM.

Candidato-me a vice-presidente da APM porque considero ter chegado o momento de, também eu, dar ainda mais à APM e me lançar no enorme desafio de honrar o tributo de todos os que já o fizeram, em particular as suas e seus sócios fundadores e presidentes. Os professores necessitam de uma APM presente, atenta, conhecedora e conciliadora num momento que já não há como não se evoluir na Educação Matemática, e para essa APM julgo poder dar, com humildade, um valioso contributo de quem há 30 anos está na escola e na sala de aula, lutando e não baixando os braços perante as dificuldades. Na APM “gente nova, gente velha, um projeto de uma ideia, construímos um espaço onde criar, e hoje [e desde sempre] temos muita gente que semeia, novos rumos, novas formas, de apostar” e uma grande vontade de tornar o futuro hoje.

Neste desafio em que me lanço, espero ter a oportunidade e privilégio de caminhar lado a lado com toda a APM, desde logo, com os seus tão importantes Núcleos Regionais e Centro de Formação, contribuir para uma maior proximidade entre a APM e os professores e as escolas, conhecendo e sendo parte da solução dos seus complexos e por vezes inaudíveis problemas e dificuldades. Mas também com os seus imprescindíveis Grupos de Trabalho e Equipas Editoriais, que com trabalho de excelência e reconhecido mérito pedagógico, científico e didático são o garante de contributos ímpares na comunidade científica e pedagógica da Educação Matemática, e ferramentas essenciais para a APM se assumir, e ser assumida, como parceira em termos de política educativa no nosso país.

Sendo esta uma candidatura individual, como assim o estipula os estatutos da APM, não será esta uma caminhada de mulheres/homens sós, será com certeza uma jornada de uma equipa unida em volta dos seus vários órgãos sociais (Direção, Conselho Fiscal, Mesa da Assembleia Geral), em que a diversidade de experiências, pensamentos, saberes e caminhos na educação (da prática à academia) nos fortalecerá e juntará “p’ra mudar, uma luta que travamos todo o dia, um percurso longo p’ra continuar”. Somos APM!

 

Nadia Ferreira

(associada n.º 9477)

Nadia Ferreira, natural de Oliveira de Azeméis, com 44 anos, é atualmente professora auxiliar no Departamento de Educação do ISPA- Instituto Universitário onde leciona diferentes unidades curriculares da Matemática e sua didática.

É licenciada em Ensino do 1.º e 2.º Ciclos do Ensino Básico, na variante Matemática e Ciências da Natureza. É Mestre em Educação e Doutorada em Didática da Matemática pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa.

Em 22 anos de experiência profissional, enquanto professora na rede pública, lecionou em diferentes escolas da região de Lisboa. Desde 2008 que é formadora de professores na formação contínua e pós-graduada. Desde 2012 que forma futuros docentes em diferentes instituições de ensino superior. Ao longo do seu percurso profissional esteve envolvida em vários processos de acompanhamento a professores e Escolas, a saber: UARTE (2001/2003); Plano de Ação da Matemática (2009/2012); Plano Tecnológico (2008/09). De 2016 até 2021, desempenhou funções na Direção-Geral da Educação, onde pertenceu à equipa de Acompanhamento e Monitorização do Desenvolvimento Curricular e acompanhou as questões específicas das Escolas do Projeto Piloto de Inovação Pedagógica (PPIP), das Escolas TEIP e o processo de Autonomia e Flexibilidade Curricular. Integra o Grupo de Trabalho de Investigação (GTI) da Associação de Professores de Matemática (APM).

 

Razões da minha candidatura

Ao longo da minha vida profissional tenho abraçado diferentes projetos que me levantaram diferentes desafios e que me proporcionaram aprendizagens profissionais. Estes projetos têm em comum a melhoria das aprendizagens dos alunos e onde os envolvidos acreditam numa Escola para todos. Também acredito que só é possível uma Escola para todos, com professores que trabalham em conjunto e que, partilhando os seus saberes, concebem e implementam práticas promotoras de melhores aprendizagens. A comunidade da APM tem sido uma inspiração e um espaço de aprendizagem para mim e para tantos outros professores, há muitos anos.

Enquanto sócia, tenho observado o trabalho da APM e o contributo para o desenvolvimento do ensino da Matemática a todos os níveis da educação, estimulando a partilha de ideias e experiências, entre os que se interessam pelos problemas da aprendizagem matemática. Nos diferentes encontros organizados pela APM, em que estive presente, com o papel de observadora ou como participante, testemunhei a apresentação de projetos de investigação e de inovação pedagógica relevantes para o ensino e aprendizagem da Matemática. Também não posso deixar de referir o papel que a APM tem, desde 1986, na definição da política educativa, no que respeita aos problemas do ensino da Matemática.

Porque acredito na importância da missão da APM, especialmente enquanto associação de professores de Matemática para professores de Matemática, considero reunir as condições para participar mais ativamente neste projeto como Vice-presidente da Direção da APM. Assim, espero contribuir para uma APM ainda mais próxima de cada professor que ensina Matemática, promovendo espaços regionais e nacionais de partilha, reflexão e inovação de práticas profissionais, para uma Matemática de qualidade com todos, para todos e cada um! Espero contribuir para uma APM interventiva e construtora de soluções para melhores aprendizagens numa disciplina crucial para o futuro do nosso país!

 

Candidatos a Vogais

João Carlos Terroso

(associado n.º 10610)

 

João Terroso, natural da Póvoa de Varzim com 31 anos, professor de Matemática do 3.º ciclo do Ensino Básico e do Ensino Secundário. Formação inicial na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, Licenciatura em Matemática e Mestrado em Ensino da Matemática no 3.º ciclo do Ensino Básico e no Ensino Secundário. Conclusão ainda do 1.º ano de Mestrado em Educação - Didática da Matemática, no Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. De momento professor contratado no ensino público, com colocação na zona da grande Lisboa.
Atualmente, é membro da equipa da Revista Educação e Matemática e do Grupo de Trabalho do Secundário da Associação de Professores de Matemática. Vogal da Direção entre 2019 e 2022.
 

Razões da minha candidatura

Desde do ano da minha inscrição como sócio da APM, a minha contribuição ativa para o ensino da Matemática tem sido bastante frequente, quer diretamente (a trabalhar com os meus alunos diariamente), quer indiretamente (participando nos “bastidores” deste papel de ser Professor de Matemática).
O facto é que Ser Professor de Matemática é um papel que vivo, revivo e assumo diariamente, com muito orgulho e muito gosto de o ser e de o assumir.
Assim, e tendo em conta o trabalho já executado com a minha anterior candidatura, pretendo candidatar-me novamente a vogal com vista a continuar a trabalhar nos projetos que me envolvi associativamente e a ajudar a criar novas
oportunidades de expandir e a melhorar os ideais associativos que a APM representa e apresenta para a nossa profissão.
Candidato-me ao cargo de vogal da direção da APM para poder integrar uma equipa onde posso dar o meu contributo e aprender também, com o compromisso de esforço total para com a própria associação.

 

José Miguel Sousa

(associado n.º 2286)

José Miguel Rodrigues de Sousa, é natural do Monte, concelho do Funchal, licenciado em Matemática, ramo de formação educacional, pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra e Mestre em Matemática Fundamentos e Aplicações, pela Universidade do Porto. É docente de Matemática do grupo 500 do Agrupamento de Escolas de Mangualde, atualmente a exercer funções de Diretor do Centro de Formação de Associação de Escolas EduFor, com sede em Mangualde.

 

Razões da minha candidatura

Inscrevi-me como sócio da APM enquanto estagiário e desde então a minha participação na vida da associação tem dependido da disponibilidade dos momentos. Assumi por vários anos funções como elemento da Comissão Pedagógica do Centro de Formação, bem como do Núcleo de Viseu.
No percurso natural desse caminho, surge agora a minha disponibilidade para assumir outras funções, nomeadamente como vogal da direção da APM.
Com a minha candidatura a vogal da direção da APM, espero dar o meu contributo para que a associação possa continuar a promover o desenvolvimento do ensino da Matemática.

 

Letícia Martins

(associada n.º 7185)

Nascida em 1995, em Guimarıes, iniciei o meu percurso como sócia da APM em novembro de 2016, quando estava a iniciar o meu mestrado em Ensino de Matemática no 3° Ciclo do Ensino Básico e no Ensino Secundário, na Universidade do Minho. Comecei logo a comprar materiais e a participar em formações e encontros, algo que muito contribuiu para todo o meu percurso académico e pessoal. Aliás, foi no meu primeiro ProfMat, em 2017, em Viseu, que descobri o meu enorme gosto pela resolução de problemas e, desde aí, não mais larguei esse tópico. Foi o meu tema central na investigação realizada durante o meu ano de estágio, realizado em 2017/2018, e tem-se
mantido, a par da comunicação escrita, até aos dias que correm.

Licenciei-me em Matemática na Universidade do Minho em 2016, concluí o mestrado já referido em 2018, e iniciei logo uma bolsa de investigação nesse mesmo ano, que
terminou em 2019 para dar lugar a uma bolsa de doutoramento fornecida pela FCT. Estou, então, a frequentar o Doutoramento em Ciências das Educação, especialidade em Educação Matemática, também na Universidade do Minho, sendo o meu objetivo de investigação relacionado com a resolução de problemas e a comunicação escrita em Matemática.

Nestes meus primeiros cinco anos e meio de associada, tenho colaborado com a APM de forma ativa em diferentes frentes. Integro o Núcleo Regional de Braga, tendo já participado na organização de dois encontros regionais, o MinhoMat 2019 e o MinhoMat 2021/22; sou membro da comissão organizadora do concurso Matemáticas na Raia desde 2018; sou vogal da direção da APM desde 2019.
 

Razões da minha candidatura

Recandidato-me para a posição de vogal da direção da APM pelo sentido crescente de pertença que sinto nesta associação; pela vontade de continuar a contribuir para melhorar o ensino de Matemática; por todas as boas experiências que esta associação
já me proporcionou, e que foram guiando o meu caminho de forma positivamente subtil; e pelos atuais e futuros professores de Matemática, que precisame precisarão das referências e experiências que a APM consegue dar. Recandidato-me com a certeza de que continuarei a dar o melhor de mim, com a dedicação que coloco habitualmente em tudo o que faço.

 

Mónica Valadão

(associada n.º 9344)

Mónica Alexandra Rebelo Valadão, natural de Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, Licenciada em Matemática, ramo de Formação Educacional, pela Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade Nova de Lisboa e aluna de Doutoramento em Educação, na Especialidade de Didática da Matemática, pelo Instituto da Educação da Universidade de Lisboa. Professora de Matemática do 3.º ciclo do Ensino Básico e Ensino Secundário, atualmente a exercer funções na Direção Regional da Educação dos Açores.

 

Razões da minha candidatura

O meu primeiro contacto com a APM foi ainda enquanto aluna universitária, quando acompanhei a minha mãe a um Profmat. Foi com grande orgulho e sentido de responsabilidade que presenciei e participei na troca de ideias e experiências de professores de Matemática de diferentes níveis de ensino e provenientes de todas as regiões do país. Com a minha candidatura a vogal da direção da APM, espero dar o meu contributo para que a associação possa continuar a promover o desenvolvimento do ensino da Matemática, proporcionando a todos os que se interessam pela aprendizagem da disciplina, momentos de discussão e reflexão sobre a sua prática pedagógica.

Apesar do enorme desafio, serão, certamente, anos de grande aprendizagem e dedicação à APM.

 

 

Lista candidata ao Conselho Fiscal

Lista candidata à Mesa da Assembleia Geral