Login    



2004, vol XIII, nº2
Julho/Dezembro


A versão integral deste texto só está disponível on-line para os sócios da APM com as quotas actualizadas. Se é sócio faça o seu login.


Artigos

Resolvendo adição de fracções através do simbolismo matemático e através de âncoras
Alina Galvão Spinillo; Maria Soraia Cruz

Resumo. Pesquisas mostram que crianças resolvem, com sucesso, tarefas envolvendo conceitos matemáticos complexos (proporção e probabilidade) quando usam o referencial de metade como âncora para o raciocínio. A partir desses resultados o presente estudo investigou: (a) se crianças resolveriam adições de frações através do referencial de metade; e (b) a natureza das dificuldades ao realizar adição de frações através do simbolismo formal. Quarenta e dois alunos do ensino elementar (8-9 anos) resolveram adições de frações em duas situações: através do referencial de metade e através do simbolismo matemático. Em ambas as situações as crianças eram solicitadas a explicar como haviam resolvido as operações. A partir dessas justificativas foram identificados diferentes tipos de estratégias. Como esperado, as crianças apresentaram dificuldades na resolução das operações através do simbolismo matemático; porém mostraram um bom desempenho quando o referencial de metade era oferecido como âncora durante o processo de resolução. Os erros na situação simbólica, como documentado na literatura, indicam que a criança aplica o conhecimento sobre números inteiros aos números fracionários. Os tipos de erros são detalhados e discutidos em uma perspectiva de desenvolvimento. Concluiu-se que o referencial de metade auxilia na resolução de adição de frações, desempenhando papel importante no raciocínio matemático.

Palavras-chave: Crianças; Adição de frações; Simbolismo matemático; Referencial de metade.


Páginas : 3-29

<< Voltar ao Indíce





© Copyright 2007 Associação de Professores de Matemática / Todos os direitos reservados