Login    



2014, vol XXIII, nº2
2º semestre


A versão integral deste texto só está disponível on-line para os sócios da APM com as quotas actualizadas. Se é sócio faça o seu login.


Artigos

A exploração da covariação estatística por alunos do 10.º ano com o TinkerPlots
Ana Henriques; Patrícia Antunes

Resumo. Neste estudo, focamo-nos sobre o raciocínio covariacional estatístico de alunos do 10.º ano. Procuramos analisar como é que os alunos exploram relações entre variáveis e estabelecem a existência de covariação quando utilizam o TinkerPlots e de que modo o uso deste software pode contribuir para o seu raciocínio covariacional. Os dados foram recolhidos através de entrevistas baseadas na realização de uma tarefa de natureza exploratória, focada na compreensão do conceito de covariação, recorrendo ao TinkerPlots. Os resultados mostram que os alunos usam o software para construir representações gráficas significativas para eles e que traduzem e suportam o seu raciocínio covariacional. Embora a sua compreensão dos dados seja, por vezes, dominada pela referência a características individuais, a maioria dos alunos também consegue fazer interpretações globais sobre a tendência dos dados evidenciada nos gráficos que criam e usá-las, juntamente com o seu conhecimento do contexto dos dados, para realizar inferências.

Abstract. This study focuses on the covariacional reasoning of grade 10 students. We aim to analyze how they explore relationships between variables and establish covariation when using the TinkerPlots and how the use of the software contributes to their covariacional reasoning. Data were collected by individual interviews in which students carried out an exploratory task focus on the understanding of covariation, using the TinkerPlots. The results show that students used the software to create a variety of meaningful plots in order to support their covariacional reasoning. Although their understanding of the data is often dominated by reference to individual points, most students can also make global interpretations of the trend of the data in their graphs and use them to make inferences, along with their knowledge of the context.


Páginas : 95-122

<< Voltar ao Indíce





© Copyright 2007 Associação de Professores de Matemática / Todos os direitos reservados