Login    



2014, vol XXIII, nº1
1º semestre


A versão integral deste texto só está disponível on-line para os sócios da APM com as quotas actualizadas. Se é sócio faça o seu login.


Artigos

O desenvolvimento da argumentação matemática no estudo das funções racionais
Maria Helena Martinho; Maria da Graça Magalhães

Resumo. Este artigo tem com referência um estudo cujo objetivo foi o de compreender o desenvolvimento da capacidade de argumentar matematicamente, de uma turma do 11.º ano, ao longo da realização de uma sequência de tarefas de investigação sobre o tema das funções racionais. Este estudo teve como suporte teórico a argumentação matemática. A metodologia adotada foi de carater qualitativo e descritivo e o caso estudado foi uma turma do 11.º ano em que professora investigadora lecionava a disciplina de Matemática A. A recolha e análise de dados, neste estudo, contemplou as discussões desenvolvidas inicialmente em pequeno grupo e posteriormente em grupo turma, e finalmente os relatórios individuais escritos com as respetivas reflexões críticas e autocríticas sobre as tarefas desenvolvidas na sala de aula. Com a presente investigação foi possível concluir que o trabalho colaborativo, ajudou a desenvolver nos alunos a capacidade de raciocinar e de argumentar matematicamente. Verificou-se que a interação entre alunos durante a exploração da sequência de tarefas de investigação foi promotora de uma aprendizagem significativa.

Abstract. This article is based on a study directed by the goal to understand the development of the capacity of arguing mathematically throughout the execution of a sequence of tasks in an 11th year class, about the theme rational functions. This study had theoretical support the argumentation in Mathematics. The methodology adopted was qualitative and descriptive and the case to be studied an 11th year class, in which the investigative teacher teaches Mathematics. The gathering and analysis of data, in this study, contemplated the discussions developed initially in small groups and afterwards in the whole class, and finally the individual reports written with the respective critical analysis on the tasks developed in the classroom. With the present investigation, one may conclude that the collaborative work, helped to develop in the pupils the capacity of reasoning and of arguing mathematically. It made clear that the interaction between pupils during the exploration of the sequence of tasks promoted a significant apprenticeship.


Páginas : 99-132

<< Voltar ao Indíce





© Copyright 2007 Associação de Professores de Matemática / Todos os direitos reservados