Para beneficiar das opções personalizadas deste site tem de fazer login ou registar-se como sócio da APM.    

ApresentaçãoProfMatXXIII SIEMLocaisCursos InscriçõesDestaques 

Posters

O Seminário conta também com uma sessão de posters. Esta modalidade de apresentação surge da submissão direta de trabalhos pelos autores que assim o pretendam ou resulta das recomendações que o corpo de revisores faz aos textos propostos para comunicação oral.

DESENVOLVIMENTO DE SENTIDO DE NÚMERO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR
CONHECIMENTO DOS ALUNOS SOBRE GEOMETRIA NO INÍCIO DO 3º CICLO: IDENTIFICAÇÃO E DEFINIÇÃO DE TRIÂNGULOS E DE PARALELOGRAMOS
TAREFAS EM GEOMETRIA – DA SALA DE AULA PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES. DESCRIÇÃO DE UM PROJETO
CONSTRUÇÃO DAS SECÇÕES PLANAS DE UM CUBO E SUA REPRESENTAÇÃO EM AMBIENTE 2D DO GEOGEBRA
A ABORDAGEM LESSON STUDY NO ENSINO DE EQUAÇÕES DO 1.º GRAU: UM CASO DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL
CONHECIMENTO E PRÁTICAS EM EDUCAÇÃO ESTATÍSTICA DE PROFESSORES DO 1.º CICLO NUM CONTEXTO DE TRABALHO COLABORATIVO
DESENVOLVER A LITERACIA ESTATÍSTICA (DSL): APRENDIZAGEM DO ALUNO E FORMAÇÃO DO PROFESSOR
A APRENDIZAGEM DE CONCEITOS MATEMÁTICOS EM CURSOS DE ENGENHARIA
COMPREENDER PROBLEMAS DE PROCESSO: UM CONTRIBUTO PARA A EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR
RACIOCÍNIO MATEMÁTICO DE ALUNOS E FUTUROS PROFESSORES: UMA PRIMEIRA APROXIMAÇÃO
RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS DE PROCESSO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR
AS COMPETIÇÕES MATEMÁTICAS ONLINE COMO CONTEXTO DE INVESTIGAÇÃO – VERTENTES DO PROJETO PROBLEM@WEB
RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS E AS AVALIAÇÕES EXTERNAS DE MATEMÁTICA NO BRASIL
PADRÕES: UMA ABORDAGEM CRIATIVA À APRENDIZAGEM EM DIFERENTES ÁREAS/DOMÍNIOS DA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR
UM OUTRO OLHAR SOBRE OS DADOS DO PISA: CARATERIZAÇÃO DOS ALUNOS COM NÍVEIS DE PROFICIÊNCIA ELEVADOS EM MATEMÁTICA
PRÁTICAS PROFISSIONAIS DOS PROFESSORES DE MATEMÁTICA: O PROJETO P3M
O CONHECIMENTO MATEMÁTICO DOS FUTUROS DOCENTES NO INÍCIO DA LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO BÁSICA: UM PROJETO ENVOLVENDO TRÊS ESCOLAS SUPERIORES DE EDUCAÇÃO
CURSOS DE FORMAÇÃO CONTÍNUA DE PROFESSORES: ALTERNATIVA PARA A INSERÇÃO DE RECURSOS COMPUTACIONAIS NO ENSINO DE MATEMÁTICA
FORMAÇÃO INICIAL DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA – CONTRIBUIÇÕES PARA UM PROCESSO DE INCENTIVO À DOCÊNCIA



DESENVOLVIMENTO DE SENTIDO DE NÚMERO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

Teresa Vilar, Escola Superior de Educação de Viana do Castelo

Lina Fonseca, Escola Superior de Educação de Viana do Castelo

Resumo

Partindo da experiência da criança o educador deve proporcionar momentos de aprendizagem significativos, carregados de boas experiências e, desta forma, desenvolver nela o sentido de número. Este estudo pretendeu responder à questão: Como se pode desenvolver o sentido de número no âmbito da educação pré-escolar?

Desenvolveu-se uma investigação-ação e recorreu-se a tarefas, observações, gravações áudio e vídeo e registos fotográficos para recolher os dados. O estudo desenvolveu-se com um grupo de 14 crianças do JI. Notou-se uma evolução geral do grupo, nas capacidades de visualização, (subitizing) e no estabelecimento de relações numéricas, o que pressupõe já alguma compreensão da sequência numérica.

Palavras-Chave: Educação Pré-escolar; Matemática; Sentido de Número; Contagem; Subitizing.




CONHECIMENTO DOS ALUNOS SOBRE GEOMETRIA NO INÍCIO DO 3º CICLO: IDENTIFICAÇÃO E DEFINIÇÃO DE TRIÂNGULOS E DE PARALELOGRAMOS

Conceição Tavares, Escola “Ave-Maria”, Lisboa/ Escola Superior de Educação de Lisboa

Cecília Monteiro, Escola Superior de Educação de Lisboa

Resumo

Este poster apresenta alguns dos resultados de um estudo em curso que visa avaliar os conhecimentos dos alunos sobre geometria, no início do 3º ciclo, em particular sobre as noções de ângulo, triângulo e quadrilátero. A investigação segue uma abordagem metodológica mista: qualitativa e quantitativa. A recolha de dados teve por base a aplicação de um questionário a alunos do 7º ano de escolaridade. Este poster, foca, além do objetivo e das respetivas questões orientadoras, resultados da identificação de triângulos e de quadriláteros que sugerem existir mal-entendidos na identificação destes polígonos. É ainda apresentada uma breve análise das respostas dos alunos baseada na literatura.

Palavras-chave: Conhecimento dos alunos, geometria, 2º e 3º ciclos.




TAREFAS EM GEOMETRIA – DA SALA DE AULA PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES. DESCRIÇÃO DE UM PROJETO

Alexandra Gomes, CIEC/IE – Universidade do Minho

C. Miguel Ribeiro, Universidade do Algarve

Fernando Martins, Instituto de Telecomunicações – ESE de Coimbra

Hélia Pinto, ESECS do Instituto Politécnico de Leiria

Ana Paula Aires, CM‑UTAD

Helena B. Campos, CM‑UTAD

Ana Caseiro, ESE de Lisboa

Cristina Alves, Agrupamento de Vila Cova 

Paula Rebelo, Agrupamento Abel Varzim

Helena Gomes, ESE de Viseu

Cátia Rodrigues, ESE de Viseu

Ricardo Poças, Agrupamento de Escolas Mosteiro e Cávado

Resumo

Neste poster, apresentamos um projeto que pretende abordar de forma conglomerada conhecimentos, raciocínios, argumentação e representações de alunos e professores dos primeiros anos. Perspetiva-se como uma das formas de contribuir para uma melhoria dos conhecimentos geométricos de alunos e professores bem como para uma possível mudança de foco na prática e na formação geométrica de professores.   

Palavras-chave: tarefas matemáticas; geometria; práticas letivas; formação de professores.




CONSTRUÇÃO DAS SECÇÕES PLANAS DE UM CUBO E SUA REPRESENTAÇÃO EM AMBIENTE 2D DO GEOGEBRA

Ilda Reis, ESTIG – Instituto Politécnico de Bragança

Edite Cordeiro, ESTIG – Instituto Politécnico de Bragança

Resumo

A dimensão gráfica constitui uma componente fundamental do estudo da geometria, pelo que o recurso a tecnologias com características pedagógicas adequadas seja importante. O GeoGebra 4.0 por ser um software educacional livre que agrega simultaneamente um sistema de álgebra computacional, um sistema geométrico interativo e um sistema de cálculo é o exemplo de uma ferramenta facilitadora do processo ensino-aprendizagem dos conteúdos desta área.

Neste trabalho simulamos um sistema de coordenadas tridimensional representado em ambiente bidimensional a fim de visualizar e manipular objetos geométricos 3D. Utilizando este sistema de coordenadas representamos um cubo e descrevemos um procedimento para a construção da secção determinada por um plano definido por três pontos móveis, não colineares, sobre as suas arestas. A visualização e manipulação de tal construção permitem observar, conjeturar e demonstrar relações entre a geometria de uma secção e a posição do plano de corte. A compreensão e a capacidade de representação de um tal procedimento por parte dos alunos respondem positivamente às indicações metodológicas dos programas do Ensino Secundário. Com efeito, em (DES, 2001, p.25) pode ler-se

 “É conveniente que o estudante fique a saber desenhar representações planas dos sólidos com que trabalha, a descrever a intersecção do cubo com um plano dado, a saber construir e a desenhar uma representação da intersecção obtida”.

 

Palavras-chave: GeoGebra, geometria, cubo, secções planas, ambiente dinâmico.




A ABORDAGEM LESSON STUDY NO ENSINO DE EQUAÇÕES DO 1.º GRAU: UM CASO DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL

Cláudia Nunes, Escola Básica Fernando Pessoa & Instituto de Educação da Universidade de Lisboa

Ana Isabel Silvestre, Escola Básica Gaspar Correia & Instituto de Educação da Universidade de Lisboa

Hélia Jacinto, Escola Básica José Saramago & Instituto de Educação da Universidade de Lisboa

Resumo

Este estudo centra-se numa experiência de trabalho colaborativo – lesson study – desenvolvida por um grupo de professoras que pretendem melhorar a aprendizagem dos seus alunos no tópico Equações do 1.º grau. Este poster reporta parte desse estudo e visa dar a conhecer as perspetivas de uma professora sobre as potencialidades da lesson study. A investigação seguiu uma metodologia qualitativa e a recolha de dados incluiu gravações vídeo e recolha documental. A análise foi conduzida por uma perspetiva interpretativa, com o intuito de elaborar um estudo de caso. Neste poster documenta-se o ciclo de uma lesson study, conjugando reflexões pessoais da professora com imagens de sala de aula e excertos de planificações. Os resultados preliminares indicam que há vantagens no tipo de trabalho adotado, quer ao nível das aprendizagens dos alunos, quer em relação ao desenvolvimento profissional da docente.

Palavras-chave: desenvolvimento profissional do professor, lesson study, equações do 1.º grau.




CONHECIMENTO E PRÁTICAS EM EDUCAÇÃO ESTATÍSTICA DE PROFESSORES DO 1.º CICLO NUM CONTEXTO DE TRABALHO COLABORATIVO

Ana Caseiro, Escola Superior de Educação de Lisboa

 

Resumo

A Estatística tem vindo a ganhar uma ênfase crescente nas orientações curriculares. Nos últimos anos tem sido dedicada especial atenção ao conhecimento e práticas dos professores e ao modo como influenciam a qualidade do processo de ensino-aprendizagem. O presente estudo visa compreender o desenvolvimento do conhecimento especializado para o ensino e das práticas letivas de professores do 1.º ciclo no âmbito da Educação Estatística, na sua mútua relação, num contexto de trabalho colaborativo. O estudo segue uma abordagem qualitativa e interpretativa onde vão ser objeto de análise três professores do 1.º ciclo, tendo por base um grupo de trabalho colaborativo. A recolha de dados será realizada através das sessões do grupo de trabalho colaborativo, de entrevistas aos professores, das aulas observadas e de recolha documental. A análise dos dados apoiar-se-á na revisão da literatura elaborada, sendo inicialmente realizada através de categorias previamente estabelecidas.

Palavras-chave: conhecimento e práticas de professores; trabalho colaborativo; educação estatística.




DESENVOLVER A LITERACIA ESTATÍSTICA (DSL): APRENDIZAGEM DO ALUNO E FORMAÇÃO DO PROFESSOR

Hélia Oliveira, Instituto de Educação, Universidade de Lisboa

Ana Henriques, Instituto de Educação, Universidade de Lisboa

Ana Paula Canavarro, Departamento de Pedagogia e Educação, Universidade de Évora

Carolina Carvalho, Instituto de Educação, Universidade de Lisboa

João Pedro da Ponte, Instituto de Educação, Universidade de Lisboa

Rosa Ferreira, Faculdade de Ciências, Universidade do Porto e CMUP

Susana Colaço, Escola Superior Educação, Instituto Politécnico de Santarém  e CIO

e ainda:

Ana Quintelas, Ana Caseiro, Cátia Freitas, Cristina Roque, Isabel Velez, Mónica Patrício, Nélida Filipe, Nuno Raínho, Raquel Santos, Sandra Quintas

 

Resumo

O projeto DSL pretende estudar o desenvolvimento da literacia estatística dos alunos, desde os níveis mais elementares até ao ensino secundário e compreender o desenvolvimento do conhecimento didático e estatístico do professor, para ensinar este tema, em contextos de formação inicial e contínua. Nesta comunicação apresentamos o projeto, num formato gráfico, incluindo os objetivos, contexto, metodologia e diagramas para sumarizar e documentar as várias tarefas do projeto e o modo como se relacionam.

Palavras-chave: Literacia estatística, Aprendizagem da Estatística, Ensino da Estatística, Formação de professores.




A APRENDIZAGEM DE CONCEITOS MATEMÁTICOS EM CURSOS DE ENGENHARIA

Manuela Alves, Centro Algoritmi, Escola de Engenharia, Universidade do Minho, Campus de Gualtar

Cristina S. Rodrigues, Centro Algoritmi, Escola de Engenharia, Universidade do Minho, Campus de Gualtar

Ana Maria A.C. Rocha; Centro Algoritmi, Escola de Engenharia, Universidade do Minho, Campus de Gualtar

Clara Coutinho, Instituto de Educação, Universidade do Minho, Campus de Gualtar>

 

Resumo

A Matemática é essencial para a formação de todos os futuros engenheiros, seja qual for o seu campo de estudo e trabalho. Apesar disso, os estudantes de engenharia tendem a revelar dificuldades nas unidades curriculares com base na matemática. Os fatores que influenciam a aprendizagem da matemática têm sido objeto de estudo para vários investigadores em todo o mundo. Neste artigo apresentam-se os principais resultados de um focus group conduzido na Universidade do Minho, sobre as atitudes dos estudantes de engenharia para com a aprendizagem de conceitos matemáticos.

Palavras-chave: aprendizagem matemática, estudantes de engenharia, focus group.




COMPREENDER PROBLEMAS DE PROCESSO: UM CONTRIBUTO PARA A EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

Cláudia Soares, Escola Superior de Educação do IP de Viana do Castelo

Lina Fonseca, Escola Superior de Educação do IP de Viana do Castelo

 

Resumo

A resolução de problemas é central no trabalho de matemática desde o jardim-de-infância (A ME, 1997). O modo como as crianças compreendem os problemas e os exploram foram aspetos estudados. De acordo com a natureza do problema optou-se pela realização de um estudo de natureza qualitativa, que assumiu a forma de estudo de caso.

Os participantes constituíram um grupo com dez crianças. Na recolha de dados foram utilizadas tarefas de resolução de problemas de processo, entrevistas, gravações áudio-vídeo, documentos e notas de campo.

Verificou-se que as crianças estavam motivadas para a resolução de problemas de processo, compreendiam os problemas recorrendo às imagens disponibilizadas e utilizaram estratégias diferentes na resolução. No entanto, algumas das dificuldades manifestadas emergiram da falta de compreensão do enunciado, apresentado oralmente.

Palavras-chave: Educação Pré-Escolar, Resolução de problemas, Compreensão de textos.




RACIOCÍNIO MATEMÁTICO DE ALUNOS E FUTUROS PROFESSORES: UMA PRIMEIRA APROXIMAÇÃO

Fernando Martins, Escola Superior de Educação de Coimbra e Instituto de Telecomunicações (Covilhã), RoboCorp (ISEC)

Marta Vieira, Escola Superior de Educação de Coimbra

Diogo Reis, Escola Superior de Educação de Coimbra

C. Miguel Ribeiro, Centro de Investigação sobre o Espaço e as Organizações, Universidade do Algarve

 

Resumo

O raciocínio matemático do professor assume um papel fulcral na promoção efetiva do desenvolvimento do raciocínio matemático dos alunos, tanto no que concerne à(s) forma(s) de encarar esse raciocínio, em si, como no conhecimento que detém (assume deter) em relação aos vários tópicos matemáticos. Neste poster, iremos debruçar-nos sobre alguns aspetos associados ao raciocínio de futuros professores e alunos do 1.º Ciclo ao resolverem uma mesma tarefa envolvendo sequências. Um dos resultados preliminares indicia o facto de alunos e futuros professores apresentarem raciocínios e representações similares, o que perspetiva a necessidade de um foco específico na formação de modo a ampliar essa capacidade e uma prática futura que permita um ensino promotor de um raciocínio matemático sustentador de aprendizagens duradoras e com significado.

Palavras-chave: Raciocínio matemático, formação de professores, práticas letivas.




RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS DE PROCESSO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

Helena Costa, Jardim-de-infância Miminho – Cruz Vermelha Portuguesa

Ana Barbosa, ESE de Viana do Castelo

 

Resumo

O presente estudo integra-se na área da educação matemática e realizou-se no âmbito do Curso de Mestrado em Educação Pré-Escolar, na Escola Superior de Educação de Viana do Castelo, em ligação estreita com a Unidade Curricular Prática de Ensino Supervisionada II. Teve como principal objetivo compreender a forma como crianças do ensino pré-escolar resolvem problemas de processo. Neste poster, serão apresentadas as principais fases deste estudo. Após a implementação de uma sequência de tarefas, foi possível verificar que as crianças estavam motivadas para a resolução de problemas de processo, tendo utilizado diversas estratégias, no âmbito da categorização adotada no estudo, potenciadas pelas tarefas implementadas, que também permitiram a mobilização de conhecimentos prévios de natureza diversa. No entanto, foram também evidenciadas algumas dificuldades que incidiram, principalmente, na fase de compreensão e interpretação dos problemas e na comunicação da sua forma de pensar, através dos registos.

Palavras-chave: Educação Pré-escolar, Matemática, Resolução de Problemas, Estratégias, Dificuldades.




AS COMPETIÇÕES MATEMÁTICAS ONLINE COMO CONTEXTO DE INVESTIGAÇÃO – VERTENTES DO PROJETO PROBLEM@WEB

Susana Carreira, FCT da Univ. Algarve e Unidade de Investigação do IE da Univ. Lisboa

Nélia Amado, FCT da Univ. Algarve e Unidade de Investigação do IE da Univ. Lisboa

Rosa Antónia Ferreira, FC da Univ. Porto e Centro de Matemática da Univ. Porto

Jaime Carvalho e Silva, DM da Univ. Coimbra e Centro de Matemática da Univ. Coimbra

Juan Rodriguez, FCT da Univ. Algarve e CEAF do Instituto Superior Técnico

Hélia Jacinto, Bolseira da FCT e Unidade de Investigação do IE da Univ. Lisboa

Nuno Amaral, EB 2,3 das Naus, Lagos

Sandra Nobre, Bolseira da FCT e Unidade de Investigação do IE da Univ. Lisboa

Sílvia Reis, ES/3 de Mirandela

Isa Martins, EB 2,3 Dr. Neves Júnior, Faro

Resumo

Neste poster damos a conhecer a variedade de linhas de trabalho do projeto de investigação Problem@Web que visa estudar o impacto dos campeonatos de matemática online, nas suas múltiplas facetas, do ponto de vista de alunos, pais e professores. As várias vertentes serão expostas a partir da apresentação de dados e resultados já disponíveis.

Palavras-chave: competições matemáticas online, resolução de problemas, atitudes, criatividade, tecnologias.




RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS E AS AVALIAÇÕES EXTERNAS DE MATEMÁTICA NO BRASIL

Maria Madalena Dullius, Centro Universitário UNIVATES

Daniela Cristina Schossler

Luciana Caroline Kilpp Fernandes

Virginia Furlanetto

Resumo

No presente trabalho apresentamos uma pesquisa que objetiva investigar a possível influência da utilização de diferentes estratégias de resolução de problemas, por parte de estudantes da Educação Básica, para que os mesmos obtenham êxito ao deparar-se com essas situações matemáticas. A mesma constitui-se em uma dissertação de mestrado e emergiu dos estudos referentes aos processos avaliativos nacionais e internacionais, realizados no âmbito do Programa Observatório da Educação da CAPES/INEP, ao qual esta proposta está vinculada e onde detectamos o foco em resolução de problemas, apresentado por tais sistemas. Pretendemos que a proposta contribua, a longo prazo, para a melhoria da qualidade dos processos de ensino e aprendizagem da Matemática e, consequentemente, para a elevação dos índices dos alunos nestas avaliações. 

Palavras-chave: Matemática, resolução de problemas, estratégias, aprendizagem.




PADRÕES: UMA ABORDAGEM CRIATIVA À APRENDIZAGEM EM DIFERENTES ÁREAS/DOMÍNIOS DA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

Ana Barbosa, IPVC–ESE

Bibiana Lopes, IPVC–ESE

Resumo

Dada a importância da adoção de uma perspetiva integradora das diferentes áreas e domínios curriculares, nas experiências de aprendizagem de crianças em idade pré-escolar, e o carácter transversal dos padrões, achou-se pertinente compreender as potencialidades das conexões estabelecidas entre a matemática e outras áreas, através de tarefas desta natureza. Tendo como participantes um grupo de crianças de 5 anos de idade, pretendeu-se analisar o contributo da descoberta de padrões na utilização de abordagens criativas e no sucesso da aprendizagem em diferentes contextos. Neste poster, são apresentados resultados referentes à implementação de 4 tarefas.   

Palavras-chave: padrões, pré-escolar, criatividade, conexões.




UM OUTRO OLHAR SOBRE OS DADOS DO PISA: CARATERIZAÇÃO DOS ALUNOS COM NÍVEIS DE PROFICIÊNCIA ELEVADOS EM MATEMÁTICA

Sónia Barbosa, MMEAD, ECT - Universidade de Évora

Paulo Infante, CIMA-UE/DMAT, ECT - Universidade de Évora

 

Resumo

O Projeto PISA (Programme for International Student Assessment) tem como objetivo avaliar a capacidade dos jovens de 15 anos no uso dos seus conhecimentos, de forma a enfrentarem os desafios da vida real. Na área da matemática, ao aluno é proposta a resolução de itens de diferentes níveis de dificuldade originando uma escala de 6 níveis de proficiência.

Com base nos dados do questionário dos alunos ajustamos um modelo de regressão logística de modo a identificar e quantificar alguns fatores potenciadores de um desempenho de nível 5 na área espaço e forma.

Palavras-chave: PISA, literacia matemática, regressão logística.




PRÁTICAS PROFISSIONAIS DOS PROFESSORES DE MATEMÁTICA: O PROJETO P3M

João Pedro da Ponte, Instituto de Educação, Universidade de Lisboa

Hélia Oliveira, Instituto de Educação, Universidade de Lisboa

Ana Paula Canavarro, Departamento de Pedagogia e Educação, Universidade de Évora

Darlinda Moreira, Universidade Aberta

Helena Martinho, Instituto de Educação, Universidade do Minho

Luís Menezes, Escola Superior de Educação de Viseu

Rosa Tomás Ferreira, Faculdade de Ciências, Universidade do Porto

e ainda:

Ana Gafanhoto, Ana Isabel Silvestre, António Guerreiro, Ana Paula Gil, Célia Mercê, Cláudia Domingues, Cláudia Nunes, Cláudia Oliveira, Célia Mestre, Hélia Ventura, Isabel Velez, Joana Mata Pereira, Laura Bandarra, Lígia Carvalho, Maria da Graça Magalhães, Marisa Quaresma, Mónica Patrício, Nelson Mestrinho, Neusa Branco, Paulo Gil, Renata Carvalho, Sandra Campelos, Sandra Quintas.

Resumo

O projeto P3M tem como objetivo estudar as práticas profissionais na sala de aula de professores de Matemática. Pretende igualmente produzir recursos multimédia para formação inicial e contínua de professores do ensino básico e do ensino secundário. Neste poster apresentamos o projeto, indicando os seus objetivos, quadro conceptual, metodologia de trabalho e resultados preliminares, tanto no que se refere às práticas dos professores como aos materiais produzidos.

Palavras-chave: Professores de Matemática, Práticas profissionais, Formação, Tarefas.




O CONHECIMENTO MATEMÁTICO DOS FUTUROS DOCENTES NO INÍCIO DA LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO BÁSICA: UM PROJETO ENVOLVENDO TRÊS ESCOLAS SUPERIORES DE EDUCAÇÃO

Lurdes Serrazina, Escola Superior de Educação de Lisboa

Ana Barbosa, Escola Superior de Educação de Viana do Castelo

Ana Caseiro, Escola Superior de Educação de Lisboa

António Ribeiro, Escola Superior de Educação de Viseu

Cecília Monteiro, Escola Superior de Educação de Lisboa

Cristina Loureiro, Escola Superior de Educação de Lisboa

Fátima Fernandes, Escola Superior de Educação de Viana do Castelo

Graciosa Veloso, Escola Superior de Educação de Lisboa

Isabel Vale, Escola Superior de Educação de Viana do Castelo

Lina Fonseca, Escola Superior de Educação de Viana do Castelo

Luís Menezes, Escola Superior de Educação de Viseu

Margarida Rodrigues, Escola Superior de Educação de Lisboa

Pedro Almeida, Escola Superior de Educação de Lisboa

Teresa Pimentel, Escola Superior de Educação de Viana do Castelo

Tiago Tempera, Escola Superior de Educação de Lisboa

Resumo

Partindo da assunção de que o conhecimento do professor constitui um fator decisivo na interpretação e implementação do currículo e da necessidade de uma discussão alargada de qual deverá ser o conteúdo da formação em Matemática na Licenciatura da Educação Básica (LEB), as Escolas Superiores de Educação de Lisboa, Viseu e Viana do Castelo iniciaram um projeto de investigação que tem como principal objetivo compreender de que modo a formação inicial contribui para o desenvolvimento do conhecimento do professor e como pode este ser promovido. Uma das questões que o projeto visa investigar é que conhecimento de conteúdo matemático têm os estudantes quando iniciam o Curso da LEB. Neste poster, serão apresentados resultados preliminares de um questionário que pretende dar respostas a esta questão.

Palavras-chave: formação de professores, conhecimento matemático do professor, currículo.




CURSOS DE FORMAÇÃO CONTÍNUA DE PROFESSORES: ALTERNATIVA PARA A INSERÇÃO DE RECURSOS COMPUTACIONAIS NO ENSINO DE MATEMÁTICA

Marli Teresinha Quartieri, Centro Universitário Univates

Maria Madalena Dullius, Centro Universitário Univates

Adriana Belmonte Bergmann, Centro Universitário Univates

Teresinha Aparecida Faccio Padilha, Centro Universitário Univates

Fernanda Eloisa Schmitt, Centro Universitário Univates

Gabriele Born Marques, Centro Universitário Univates

Resumo

Com a introdução do computador nos lares e nas escolas surgiram inúmeros programas que possibilitam múltiplas formas de tratar o conhecimento e criar ambientes mais dinâmicos de aprendizagem. Nesse contexto, propomos investigar como os cursos de formação contínua contemplam a questão do uso de recursos computacionais no processo de ensino de Matemática e qual o seu impacto nas atividades desenvolvidas em sala de aula. Algumas ações já foram efetivadas, tais como a realização e análise de questionários enviados a professores de Matemática e Secretários Municipais de Educação e entrevista realizada com a Coordenadora Regional de Educação Estadual. Este poster objetiva apresentar a análise destes resultados e a proposta de oferta de dois cursos de formação contínua, fundamentados na metodologia da pesquisa-ação.

Palavras-chave: Formação Contínua. Recursos computacionais. Matemática.




FORMAÇÃO INICIAL DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA – CONTRIBUIÇÕES PARA UM PROCESSO DE INCENTIVO À DOCÊNCIA

Inocêncio Fernandes Balieiro Filho, UNESP – Ilha Solteira – Brasil

 

Resumo

O objetivo deste trabalho é discutir as reflexões dos bolsistas do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) do Curso de Licenciatura em Matemática da Universidade Estadual Paulista – UNESP – Campus de Ilha Solteira sobre o processo de ensino e de aprendizagem de Matemática dos alunos das turmas de 7º e 9º ano de uma escola pública estadual da cidade de Ilha Solteira, no Estado de São Paulo. Para isso, apresentamos as ações que foram desenvolvidas e os resultados obtidos ao longo do segundo semestre de 2011. Para a construção de nossa análise e discussão, consideramos os dados obtidos por meio do relatório semestral que foi elaborado valendo-se de anotações de campo, dos relatórios individuais dos bolsistas e do relatório da professora supervisora da Escola.

Palavras-chave: Licenciatura; Matemática; Docência.







© Copyright 2010 Associação de Professores de Matemática / Todos os direitos reservados